Depressão

Os principais sintomas da depressão pós-parto

Os sintomas clássicos incluem acordar muito cedo, dificuldade de concentração e um sentimento de “lentidão” mental. A mulher pode sentir culpa, inutilidade e falta de confiança; às vezes isso é tão ruim que ela não consegue enfrentar encontros com os amigos, entre  outras características como a insônia, má alimentação e preocupação excessiva.

Como deve ser tratada a depressão sem recorrer aos hormônios?

Vários estudos com doses elevadas de estrogênio ou progesterona para tratar depressão pós-parto, tiveram diferentes graus de sucesso. Entretanto, nenhum se tornou tratamento padrão, e não ficou claro como funcionam, já que estrogênio e progesterona têm efeitos opostos.

Identificando a depressão:

É muito mais provável que quando existe uma preocupação ou mesmo alguns zunidos na cabeça, você esteja apenas desgastada. A depressão pós-parto leve, as vezes conhecida como “melancolia”, leva à ansiedade e choro após o nascimento da criança.

Ela afeta até 10% das mulheres e, em geral, melhora em semanas. Se estiver difícil dar conta, conte suas sensações e emoções ao médico e consulte um terapeuta, ele pode ajudar.

Histórico na família

Mesmo que haja esse elo familiar em doenças depressivas, existem diferentes tipos de depressão, inclusive, causadas pelas mais variadas circunstâncias.

Algumas observações sobre a depressão pós-parto

A maioria das mulheres espera sentir euforia com o bebê, mas muitas se sentem mal por vários dias após o parto, o que é conhecido como “melancolia”. Os médicos não esclareceram totalmente o motivo disso, mas é provável que seja devido aos ajustes que o organismo sofre após o nascimento e à mudança súbita nos níveis hormonais, que afeta profundamente as emoções. É mais provável que você tenha melancolia se costuma sofrer de depressão pré-menstrual, se estava deprimida durante a gravidez ou se é o seu primeiro bebê.

Como a melancolia afeta diretamente?

Você pode se ver muito infeliz e chorosa e até se sentir estranha diante do bebê. Isso pode acontecer quando surge o primeiro leite ou porque as rotinas de dormir e comer foram perturbadas. Às vezes, o humor melhora e piora em questão de segundos.

Essa “montanha russa” emocional, costuma durar um ou dois dias, e você será mais capaz de lidar com isso se entender a causa. Precisará de muito apoio de seu companheiro e da sua família.

O que é depressão pós-parto?

Uma em cada 10 mulheres sofre de depressão pós-parto. É uma crise mais prolongada de “melancolia” e geralmente começa uma semana ou duas depois do nascimento, muitas vezes isso ocorre ao chegar em casa após sair do hospital. Você pode ter crises de choro, irritação, se sentir confusa e cansada, ter dificuldade de concentração e pode até duvidar da sua capacidade de cuidar do bebê.

Por mais que deseje ser mãe, a realidade de ter um bebê pode levar algum tempo para ser internalizada. A depressão pode resultar da dificuldade em se ajustar à maternidade ou ser a expressão de um processo de luto pela perda do estilo de vida anterior. Na sua nova vida, ainda precisa sentir que é uma pessoa e não apenas um apêndice de seu bebê.

Duração da depressão pós-parto

Os sintomas da depressão pós-parto costumam diminuir em algumas semanas, mas se persistirem, você pode estar sofrendo de depressão grave e deve consultar o médico. Poderá se beneficiar de medicamentos antidepressivos e cuidados médicos especializados adicionais. Talvez haja um psicólogo com quem possa falar ou um grupo de apoio do qual participar.

Fonte: Christoph Lees, Karina Reynolds, Grainne McCarran – Dorling Kindersley Limited – London

 

Compartilhar com:

PinterestLinkedInFacebookTwitterEmailPrint